Saltar para o conteúdo

Filipinas: paz à vista entre o Estado e a minoria muçulmana

Julho 29, 2018

Fili+inasNoMundo

As Filipinas no mundo

A «Região Autónoma de Bangsamoro» foi há dias estabelecida nas Filipinas para albergar a considerável minoria muçulmana do sul do país, em especial na ilha de Mindanao. São cerca de seis milhões de islâmicos num país com 90 milhões de habitantes, dos quais cerca de 90% são católicos
FilipinasMindanaoA Região de Bangsamoro  foi estabelecida por acordo entre o Presidente Dutertre e as duas câmaras do congresso, após dez anos de negociações com organizações representativas daquela minoria, incluindo os dois tradicionais movimentos de guerrilha tradicional, a Frente de Libertação Moro e a Frente Islâmica de Libertação Moro. O senado votou favoravelmente a 25 de julho. Este acordo é aprovado pela Igreja Católica, a principal força religiosa daquele país. É opinião generalizada que o acordo trará a paz religiosa às Filipinas. A vizinha Malásia, um país com 60% de população muçulmana, aplaudiu o estabelecimento da nova região.

Os muçulmanos filipinos já tinham uma região com autonomia administrativa que incluía seis províncias (Basilan, Lanao del Sur, Maguindanao, Sulu and Tawi-Tawi) . Mas não se reconheciam nela. Há várias dezenas de anos que os dois referidos movimentos de guerrilha combatiam o exército regular, na ilha de Mindanao. O ano passado um facto inesperado e paradoxal alterou esta situação: o Isis, o Exército Islâmico, ocupou a cidade Marawi e só dela foi desalojado após intensos combates. O exército cercou a cidade durante três meses e arrasou-a, numa demonstração de força contra o fundamentalismo islâmico. Mais de trezentas mil pessoas foram deslocadas. Esta manifestação de força do exército filipino sublinhou o caráter estrangeiro e precário da intromissão do ISIS e precipitou a vontade de negociar dos grupos islâmicos locais, mais moderados do que os jihadistas do Exército Islâmico..

A nova região autónoma não só foi negociada de modo mais participado como terá mais poderes do que a anterior. Dutertre apresenta-a como um passo no sentido da descentralização e do do federalismo das Filipinas. Na nova região terão o direito de se integrarem municípios situados fora dela e que adotem tal decisão, nos termos de um referendo especial que será proposto à população de Miindanao. É uma medida original, de natureza extraterritorial, e permitirá agregar elementos dispersos da minoria muçulmana .

As Filipinas são o maior país católico da Ásia e por certo o único quaificável de católico naquele continente.

O recente acordo traz algum otimismo num panorama de crescente conflito entre extremistas islâmicos e Estados com separação face às Igrejas que são de matriz civilizacional cristã e euro-americana.

Os meios católicos sustentam que o acordo só perdurará se aumentar o diálogo inte-religioso nas Filipinas e declaram-se disposto a praticá-lo com os muçulmanos. Por certo importará também que o Estado filipino revele capacidade de integração da minoria muçulmana. O acordo deve muito ao Presidente Dutertre, um político controverso, por vezes acusado de ser demasiado autoritário, mas que tem dinamizado as instituições filipinas.

One Comment leave one →
  1. Maria de sa permalink
    Julho 31, 2018 10:00 pm

    Paz na Terra é o que se deseja . Ainda bem que o Presidente chegou a um acordo . Obrigada pela partilha deste acontecimento com que me congratulo . Maria

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: