Skip to content

Evangelii Gaudium apreciada de modo diferente nos Estados Unidos e na Europa

Dezembro 9, 2013

ForbesSobreaEvangelliGaudiumNa Forbes, um católico norte-americano apresenta o Papa Francisco como ignorante em economia

Evangelii Gaudium (A alegria do Evangelho), a exortação apostólica do Papa Francisco, é um documento significativo para  a compreensão da atitude do catolicismo face ao Estado. À primeira vista, nada sugeria que assim devesse ser: o texto apresenta-se com um estatuto formal menos elevado do que o da encíclica e o seu objeto é a evangelização do mundo contemporâneo, não a redefinição da atitude do catolicismo face à política.

Contudo, a Evangelii Gaudium  considera que a reafirmação da justiça social integra essa evangelização e por isso refere em duas ocasiões a problemática da economia: no capítulo 2, a parte 1ª, intitulada «Alguns desafios do mundo atual», nºs 52 a 75; e no capítulo 4, consagrado à «dimensão social da evangelização», em particular os nºs 177 a 237.

As primeiras quatro seções da primeira parte do capítulo 2  levam títulos vigorosos: «não a uma economia de exclusão»; não a uma nova idolatria do dinheiro»; «não a um dinheiro que governa em vez de servir»; «não à desigualdade social que gera violência». A segunda parte do capítulo 4 defende «a inclusão social dos pobres» e o título de uma das suas seções afirma «o lugar privilegiado dos pobres no povo de Deus».

O texto papal obteve uma imediata e generalizada repercussão, em si mesmo pouco surpreendente, dada a popularidade do Papa Francisco. Já é mais surpreendente a reações de rejeição que suscitou, sobretudo nos Estados Unidos. «É um desafio aos católicos conservadores», titulou o New York Times, a 30 de novembro. Rush Limbaugh, um comentador de direita, classificou o texto de «político» e «puro marxismo». As críticas mais frequentes, porém, qualificavam Evangelii Gaudium como um texto de teoria económica, condenando o capitalismo e ignorando a realidade económica. É esta a linha em estilo arrogante de Greg Mankiv, professor de economia em Harvard. Na Forbes, uma revista de divulgação económica, um articulista, que se apresentou como católico, escreveu: no capítulo 2, «o Papa parece não compreender o mundo em que vivemos» e «não está completamente ao corrente do estado do conhecimento sobre o modo de reduzir com eficácia a pobreza e a igualdade»; com cópia de gráficos, demonstra que o capitalismo liberal, dominante nas últimas décadas, tem diminuído a pobreza mundial.

Uma frase da exortação apostólica provocou mais polémica: a que condena as teorias «trickle-down» («recaída favorável»)  que, em tradução literal,  afirmam: «o crescimento económico, favorecido por um mercado livre conseguirá inevitavelmente maior justiça e inclusão social» (nº 54). Comentadores católicos consideram que a versão inglesa contém aqui um erro de tradução  por ser infiel ao texto castelhano, que consideram o original, dado ser o idioma materno do Papa Francisco. Traduzindo literalmente do castelhano, o mercado conseguirá «por si mesmo» – o que é mais fraco do que o inevitavelmente. A versão portuguesa usa também o «por si mesmo».

É certo que as versões latinas da Evangelii Gaudium condenam menos o capitalismo sem intervenção do Estado do que a inglesa, mas não lhe alteram profundamente o sentido. Os comentadores católicos nos Estados Unidos valorizam o erro de tradução porque querem atenuar o efeito polémico da exortação apostólica. Como neste país a oposição à intervenção do Estado na economia é mais forte do que na Europa, e como o Papa Francisco defende essa intervenção, a reação de rejeição norte-americana foi mais forte do que a europeia.

*

Texto da Evangelii Gaudium em português

http://www.vatican.va/holy_father/francesco/apost_exhortations/documents/papa-francesco_esortazione-ap_20131124_evangelii-gaudium_po.html

Texto da Evangelii Gaudium em inglês

http://www.vatican.va/holy_father/francesco/apost_exhortations/documents/papa-francesco_esortazione-ap_20131124_evangelii-gaudium_en.html

Sobre a posição de Greg Mankiv

http://oeconomistaport.wordpress.com/2013/12/05/o-papa-francisco-sucedeu-a-che-guevara/

Artigo da Forbes

http://www.forbes.com/sites/timworstall/2013/11/26/in-which-a-good-catholic-boy-starts-shouting-at-the-pope/

Reações à Evangelii Gaudium nos Estados Unidos

 http://christopherblosser.blogspot.pt/2013/11/pope-francis-evangelii-gaudium.html

http://www.catholicnewsagency.com/news/writers-prompt-balanced-reaction-to-popes-take-on-economy/

Anúncios
No comments yet

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: